09 abril 2009

Os Benefícios da Patinação.



A patinação já passou por transformações diversas desde 3000 A.C., foi criada com o intuito de locomoção pelos rios congelados, se transformou em item de diversão e depois esporte. Hoje esse caminho está se invertendo, cada vez mais a patinação é utilizada como lazer, atividade física e transporte. Mas a partir de quando esse item de diversão e lazer pode se tornar um componente de atividade física?

Até hoje não se tem nenhum estudo definido sobre os gastos energéticos da patinação, isso ocorre devido a uma coisa chamada sinergismo muscular, que é um conjunto de contrações musculares que auxiliam na busca do equilíbrio corporal, unindo-se ao sentido da visão que busca o aperfeiçoamento da propriocepção, que se define pela noção do corpo no espaço; tal fato se torna muito presente quando os patinadores olham para seus pés enquanto patinam. A partir desses conceitos os gastos energéticos podem variar de pessoa a pessoa.

É possível comparar o ato de patinar a outras atividades físicas que possuam alto gasto calórico ? Por exemplo o ciclismo. A pessoa que pedala de forma não profissional, ou seja, com a intenção de associar o lazer a atividade física, tem o trabalho intenso nos membros inferiores e um suave trabalho nos membros superiores e no tronco. Por esse motivo o ciclismo perde em gasto calórico para a corrida, que possui o esforço bem mais representativo acima da linha pélvica (cintura).

A patinação por sua vez gera um gasto nos membros inferiores que pode ser comparado ou superado em relação ao ciclismo, e devido ao afastamento desses membros do centro de gravidade, o corpo necessita de maior auxílio no equilíbrio através do tronco e dos membros superiores, que acabam tendo um gasto calórico acima do que é gerado na corrida nesses mesmos seguimentos.

A grande chave do gasto calórico na patinação encontra-se na busca da estabilidade corporal. Por estarmos com um elemento próximo ao que permite a movimentação do caminhar, que são os calçados, estaríamos aptos a utilizar os patins, porém estes não possuem aderência ao solo no sentido longitudinal das rodas, o que faz que nosso córtex motor redefina toda uma programação de deslocamento para assim chegar a uma efetiva forma de patinar. Daí vem o gasto extra calórico, que pode se referir ao aprendizado motor e adaptação neural através de um alto nível de sinergismo muscular, que pode continuar ao longo do aprendizado conforme se desenvolve novas manobras e movimentos.

Os benefícios da atividade física de acordo com o site boa saúde:

“A prática regular de exercícios físicos acompanha-se de benefícios que se manifestam sob todos os aspectos do organismo. Do ponto de vista músculo-esquelético, auxilia na melhora da força e do tônus muscular e da flexibilidade, fortalecimento dos ossos e das articulações. No caso de crianças, pode ajudar no desenvolvimento das habilidades psicomotoras.

Com relação à saúde física, observamos perda de peso e da porcentagem de gordura corporal, redução da pressão arterial em repouso, melhora do diabetes, diminuição do colesterol total e aumento do HDL-colesterol (o "colesterol bom"). Todos esses benefícios auxiliam na prevenção e no controle de doenças, sendo importantes para a redução da mortalidade associada a elas. Veja, a pessoa que deixa de ser sedentária e passa a ser um pouco mais ativa diminui o risco de morte por doenças do coração em 40%! Isso mostra que uma pequena mudança nos hábitos de vida é capaz de provocar uma grande melhora na saúde e na qualidade de vida.

Já no campo da saúde mental, a prática de exercícios ajuda na regulação das substâncias relacionadas ao sistema nervoso, melhora o fluxo de sangue para o cérebro, ajuda na capacidade de lidar com problemas e com o estresse. Além disso, auxilia também na manutenção da abstinência de drogas e na recuperação da auto-estima. Há redução da ansiedade e do estresse, ajudando no tratamento da depressão.

A atividade física pode também exercer efeitos no convívio social do indivíduo, tanto no ambiente de trabalho quanto no familiar.

Interessante notar que quanto maior o gasto de energia, em atividades físicas habituais, maiores serão os benefícios para a saúde. Porém, as maiores diferenças na incidência de doenças ocorrem entre os indivíduos sedentários e os pouco ativos. Entre os últimos e aqueles que se exercitam mais, a diferença não é tão grande. Assim, não é necessária a prática intensa de atividade física para que se garanta seus benefícios para a saúde. O mínimo de atividade física necessária para que se alcance esse objetivo é de mais ou menos 200Kcal/dia. Dessa forma, atividades que consomem mais energia podem ser realizadas por menos tempo e com menor freqüência, enquanto aquelas com menor gasto devem ser realizadas por mais tempo e/ou mais freqüentes.
Para finalizar devemos ressaltar que a prática de atividade física deve ser sempre indicada e acompanhada por profissional qualificado, incluindo médicos, fisioterapeutas e profissionais de educação física. Caso sinta algo diferente é mandatório informar ao responsável. Outro ponto importante, que não deve ser esquecido, é a adoção de uma alimentação saudável, rica em frutas, legumes, verduras e fibras. Prefira o consumo de carnes grelhadas ou preparadas com pouca gordura. Evite o consumo excessivo de doces, comidas congeladas e os famosos lanches de "fast-foods". E lembre-se: beba muito líquido (de preferência água e sucos naturais).

A atividade física consiste em exercícios bem planejados e bem estruturados, realizados repetitivamente. Eles conferem benefícios aos praticantes e têm seus riscos minimizados através de orientação e controle adequados. Esses exercícios regulares aumentam a longevidade, melhoram o nível de energia, a disposição e a saúde de um modo geral. Afetam de maneira positiva o desempenho intelectual, o raciocínio, a velocidade de reação, o convívio social. O que isso quer dizer? Há uma melhora significativa da sua qualidade de vida!”
(http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=4772&ReturnCatID=1774)

Que a atividade física é importante todos sabem, mas qual, onde e como fazer são questões que sempre ficam rodeando as pessoas, mas porque não procurar um lazer que serve de atividade e ao mesmo tempo pode ser um ambiente de convívio social?
A patinação traz isso tudo e um pouco mais, é uma atividade que pode gerar objetivos diferentes, pois existem diversas modalidades associadas, que fazem você sair da rotina e se divertir, alcançando saúde, felicidade e bem estar.

E então, vamos patinar ??

Um comentário:

Luiz Claudio disse...

Achei a matéria muito interessante. Quando acabei de ler fiquei com algumas perguntas:
- Existe algum estudo que compara a perda de caloria da corrida e do ciclismo?
- Seria possível fazer uma correlação entre estas atividades e a patinação?
- O gasto calórico seria variável por pessoa, gênero, etc. ou teria uma relação direta estatística?
- Seria possível relacionar tempo de atividade com gasto energético no caso da patinação?

Abs,

Luiz Claudio